Ninguém fala nada

E naquela sexta-feira que nada prometia, a gente se (re)conheceu. Não parecia que algo aconteceria. Duas pessoas, uma vontade, uma curiosidade. Aconteceu. Muito bom. Foi bem divertido, tudo cheio de risos. Papo vai, papo vem, mais beijos sinceros. E assim foi. Ah, como eu pude esquecer? Esquecer que tinha lanche? Óbvio que deveria ter. C-O-M-I-D-A.

Deixe fluir.

E quando tudo simplesmente acontece? O tempo passou. Você ficou esperando o que? Ontem você era novinho, com uma vida pela frente e aquele brilho nos olhos. Que olhos. Do tipo sonhadores, que querem dominar o mundo. Enxergar tudo de dentro pra fora. Olhos que transpassam qualquer objeto ou pessoa.