Ninguém fala nada

E naquela sexta-feira que nada prometia, a gente se (re)conheceu.

Não parecia que algo aconteceria. Duas pessoas, uma vontade, uma curiosidade. Aconteceu.

Muito bom. Foi bem divertido, tudo cheio de risos. Papo vai, papo vem, mais beijos sinceros. E assim foi.

Ah, como eu pude esquecer? Esquecer que tinha lanche? Óbvio que deveria ter. C-O-M-I-D-A. Sabe como é né? Uma mulher em 2017 que se preze, aprecia uma boa comida! (As fitness que me desculpem mas que se fod* a dieta) #pas

Os dias passaram, e tudo foi fluindo.

Aquela mensagem de bom dia.

Aquele beijo de boa noite.

“Chegou bem?”

“Bons sonhos”

Aquela aparente preocupação habitual que nos faz suspirar um pouco mais profundamente. Mas será?

E o medo de permitir?

E o medo de deixar entrar?

E o medo de participar?

E medo de ser trouxa mais uma vez?

Ninguém disse que se relacionar seria fácil.

Mas também ninguém disse que seria essa roleta russa, de não saber o que o outro quer. Ninguém disse nada, ninguém fala nada. E agora?

 

Obs: Mil desculpas pelo sumiço! Mais de um mês, mas eu juro que não foi preguiça. Tiveram inúmeras visitas ao médico, diferentes doenças, e adivinhem? UMA TENDINITE no punho a tiracolo! Olha como vida de blogueira e youtuber não é nada fácil (além de estudante e assistente de mkt). Então, não fique brava (o) comigo, e venha sempre aqui me visitar que eu vou amar! Um super beijo, e espero que tenha gostado desse texto de retorno. Simples, rápido, direto e inspirador. Que nosso fim de maio seja iluminado! Beijo meus amores <3

Deixe seu comentário.

comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *