Feliz Natal (minha carta para você)

Feliz Natal!

Dia 25 chegou. Aquele dia que a gente já se programa pra engordar pelo menos uns 5 kgs. Valha-me Deus. Junta a família inteira. Vem a mãe, o pai, os tios, os avós, os primos, os agregados. Quando não é a pobre mãe pra fazer toda a ceia, rola uma divisão de comidas e sobremesas. Somos 15, mas a comida é pra um batalhão. Tem bacalhoada, tem pernil, tem peru, tem chester. E de sobremesa? Pudim, manjar, tem pavê? Óbvio que tem, afinal ele que reforça a piadinha dos tios todo ano. Continue lendo “Feliz Natal (minha carta para você)”

Você só precisa de você para ser feliz

@ondejazzmeucoracao

Talvez você demore a perceber, ou a entender que de fato só precisa de você mesmo para ser feliz. Passamos um bom tempo da vida tentando encontrar nossa metade da laranja, quando na verdade esquecemos que já somos uma laranja inteira. Não vou negar que é bom ter alguém por perto, alguém que nos dê carinho e que seja parceiro. Mas antes disso tudo, você precisa enxergar como você pode ser suficiente pra si. Não precisa de pessoas vazias a sua volta para te completar. Algumas não têm absolutamente nada a acrescentar. São pontes. Continue lendo “Você só precisa de você para ser feliz”

Mudanças! E não precisa esperar 2018.

Chegou dezembro. Último mês do ano. Aquele mês que começamos a pensar na roupa de Natal pra ficar sentado no sofá da sala e na roupa do Ano Novo de acordo com a cor do que queremos pro ano seguinte. Sendo menos “fútil”, é o mês que repensamos nosso ano, e vemos que não fizemos nada, ou quase nada, daquela famosa lista  de virada de ano (de 2016 para 2017). Pra ser sincera eu não lembro muito da minha. Só lembro que tinha “Viajar” e até considero que consegui, mas só no início do ano mesmo. Então não foi no melhor formato. Continue lendo “Mudanças! E não precisa esperar 2018.”

Amando amores e desamores.

Certa vez me disseram, que amamos apenas uma vez. Desde então, me pergunto se realmente a matemática do amor funciona dessa forma. Tão simples e exata. Um pra um e nada mais. A conta já não fecha porque são mais mulheres que homens no mundo, isso pra não falar dos relacionamentos homoafetivos. Então, se fosse assim, algumas (muitas) pessoas ficariam de fora da brincadeira. E seria bem injusto por sinal.

Hoje, aos 25 anos, e não quer dizer que isso não possa mudar, deixei de acreditar em príncipe encantado, ou metade da laranja perdida por aí. Hoje eu vivo amores. Alguns breves, outros lon

gos. Uns são tão intensos que me consomem e fazem eu me doar demais, outros já são leves e sutis como vento acariciando o rosto. Cada um com sua beleza e seu encanto, cada um com seu (infeliz) prazo de validade. Continue lendo “Amando amores e desamores.”

As coisas boas da vida

Sim, eu sei o que você está pensando. Porque raios alguém que está próxima de completar 25 anos ainda, acha que tem o que dizer sobre as coisas boas da vida? Te manca né viada?!

Pois é. Muito se engana você. Não preciso ter , 50 nem 60 anos para saber um pouco das coisas boas que a vida nos reserva, ou melhor, nos dá chance de aproveitar. E tenho certeza que muitas delas ainda vou descobrir pelo caminho. Mas por hora, já deu pra ter um bom gostinho do que vem por aí. Continue lendo “As coisas boas da vida”

Ninguém fala nada

E naquela sexta-feira que nada prometia, a gente se (re)conheceu.

Não parecia que algo aconteceria. Duas pessoas, uma vontade, uma curiosidade. Aconteceu.

Muito bom. Foi bem divertido, tudo cheio de risos. Papo vai, papo vem, mais beijos sinceros. E assim foi.

Ah, como eu pude esquecer? Esquecer que tinha lanche? Óbvio que deveria ter. C-O-M-I-D-A. Continue lendo “Ninguém fala nada”

Deixe fluir.

E quando tudo simplesmente acontece?

O tempo passou. Você ficou esperando o que? Ontem você era novinho, com uma vida pela frente e aquele brilho nos olhos. Que olhos. Do tipo sonhadores, que querem dominar o mundo. Enxergar tudo de dentro pra fora. Olhos que transpassam qualquer objeto ou pessoa. Continue lendo “Deixe fluir.”