Carência, prazer!

Vem cá, senta aqui comigo. Olhe pros lados e sinta-se no CA – Carentes Anônimos. Ninguém precisa saber que você está aqui. Apenas relaxe! Eu sei como é e te entendo muito bem. A parte mais difícil é assumirmos nossa carência. Algumas pessoas não nos entendem. Por isso vou tentar ajudar.

Tudo que é em excesso, tende a fazer mal (mamãe sempre falou isso). Já faz parte do senso comum, mas nada impede de que sejamos carentes controlados. O que te faz ser carente? Porque você se sente carente?

Alguns acreditam que é baixa auto-estima, falta de confiança ou amor-próprio. Eu já acredito que não. É tão fácil simplesmente problematizar. Não é assim que funciona.

Nós, carentes, simplesmente queremos a devida atenção que acreditamos merecer. Porque não posso ser viciado por carinho, beijo e abraço? Ou mesmo olhares? Sim. Olhares. Não necessariamente é o toque, mas a atenção que o outro lhe dá. As vezes com pequenas atitudes, percebemos o quanto somos especiais para o outro. Olhe diretamente para os meus olhos, e verá a legenda da minha alma. O que penso, o que sinto, o que me dói e o que me faz sorrir.

Esse sentimento que te domina está presente em qualquer relação. Pais e filhos, amigos, namorados, marido e mulher. É um vício sem cura. Daqueles que vão apenas nos alimentando e nunca estamos satisfeitos. Quando percebemos, estamos completamente vidrados.

Você sabe o quanto você merece? Você sabe o quanto você foi bem amado por toda a sua vida? Acho que todo mundo deveria ter essa dose extra forte de carinho. Faz bem pra alma, pro ego e pro coração. Permita-se!

Então quando você achar que sou carente e quiser reclamar, pense duas vezes. Primeiro porque, se você tem a chance de fazer parte da minha vida, é porque de alguma forma é especial pra mim. Segundo, pra se manter assim, deve-se fazer por onde. Afinal, eu sou apenas exigente demais e quem quer rir, tem que fazer rir também.

“Ando com uma vontade tão grande de receber todos os afetos, todos os carinhos, todas as atenções. Quero colo, quero beijo, quero cafuné, abraço apertado, mensagem na madrugada, quero flores, quero doces, quero músicas, vento, cheiros, quero parar de me doar e começar a receber” Caio F. Abreu.

Deixe seu comentário.

comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *